Perto o Bastante Para Tocar - Colleen Oakley | RESENHA [ESTANTISMO]

26.8.17
Foto: Leitora Cretina
Olá, leitores! Tudo bem?

Era para essa resenha ter saído ontem, mas estou com alguns problemas pessoais. Me perdem. Também não estou entrando no Instagram, mas espero voltar em breve lá.

"Perto o Bastante Para Tocar" é um dos livros que vieram na mistery box do Estantismo!! Para quem não conhece, o Estantismo é um clube de assinatura só de romances. Os assinantes recebem todo mês dois livros do gênero (podendo ser romances de comédia, new adult, melosos, etc). Há dois tipos de planos: mensais e avulsos. Ficaram curiosos? É só visitar o site www.estantismo.com.br e conferir todos os preços!

Se mesmo assim, você ainda está na dúvida, visite o Instagram @estantismo que lá eles dão spoilers dos livros do próximo mês e mostram o que veio na box do mês passado.

Agora, vamos para a resenha!!
Foto: Leitora Cretina



Resultado de imagem para perto o bastante para tocarTítulo: Perto o Bastante Para Tocar 
Título Original: Close Enough to Touch 
Volume Único 
Autor(a): Colleen Oakley 
Ano: 2017 
Editora: Bertrand Brasil
Número de Páginas: 350 páginas 
Nota:     
Adicione no Skoob
SINOPSE: Jubilee Jenkins é uma jovem com uma condição médica rara: ela é alérgica ao toque de outros humanos. Depois de uma humilhante experiência de quase morte na escola, Jubilee tornou-se uma reclusa, vivendo os últimos nove anos nos confins da pequena Nova Jersey, na casa que sua mãe deixou quando fugiu com um empresário de Long Island. Mas agora, sua mãe está morta, e, sem seu apoio financeiro, Jubilee é forçada a sair de casa e encarar o mundo do qual tem se escondido - e as pessoas que o habitam. 
Uma dessas pessoa é Erik Keegan, um homem que acabou de se mudar para a cidade por causa de seu trabalho e que está lutando para descobrir como sua vida saiu dos livros. Até que um dia, ele conhece uma mulher misteriosa chamada Jubilee...
Foto: Leitora Cretina
ENREDO:
Jubilee Jenkins possui uma doença diferente: ela é alérgica a outras pessoas, ou seja, ela não pode ser tocada de jeito nenhum. Depois de ser abandonada pela mãe, ela passa 9 anos morando sozinha, sem sair de casa para absolutamente nada, mas quando sua mãe falece e ela não tem mais dinheiro para pagar suas contas, ela decide que precisa de um emprego. Uma pessoa do seu passado ressurge e a ajuda dando-lhe um emprego na biblioteca da cidade.

Eric Keegan acaba de chegar para a mesma cidade de Jubilee, a trabalho. Sua vida está de cabeça para baixo: está divorciado, sua filha não fala mais com ele e ele tem um filho adotivo para cuidar que colocou na cabeça que é um telecinético.

Os dois irão se encontrar, mas como poderão se envolver?
"- Bem, eu não vou... eu prometo que vou manter distância de agora em diante. Você não precisa se preocupar comigo."
Foto: Leitora Cretina
MINHA OPINIÃO:
A doença de Jubilee é tão bem criada e fundamentada que parece que ela realmente existe! Um dos episódios marcantes em sua vida foi na escola, quando ela foi beijada e isso quase a levou a óbito. Ao ser tocada, nossa personagem fica com espécie de erupções, podendo levá-la a morte. 

Jubilee é doce e encantadora, mas após ficar tanto tempo dentro de casa ela, ela desenvolveu agorafobia (medo de sair de casa) e quando se vê obrigada a sair, ela não sabe mais interagir com outros seres humanos, tudo em sua mente fica em conflito. Um ponto triste de sua vida, foi a sua relação com a mãe.

Eric está desesperado pois acredita ser um pai ruim. A sua filha, que agora está com a mãe, não fala mais com ele e ele tenta corrigir isso de todas as formas. Em sua nova casa, temos Aja, um garoto extremamente inteligente, porém, que está causando alguns problemas, precisando de ajuda profissional.
"- Tenho medo de ter esquecido como é." "- Ser tocada?" "- Sim. - Respiro fundo. Não sei o que esperava que ela dissesse. E não sei o que responder. - Acho que tenho medo de ter formado uma ideia na cabeça. - continua."

Grande parte do livro, os dois personagens ainda não se conhecem e a autora vai mostrando ao leitor essas dificuldades que eles estão enfrentando. Mas quando os dois se conhecem e há uma química entre eles, a grande pergunta que fica é: como eles vão conseguir desenvolver um relacionamento? Um capítulo é narrado pela Jubilee e outro pelo Eric e por meio dessas narrações vemos o desejo dos dois em querer ser tocada e querer tocar, e graças as histórias pessoais dos dois, há outros problemas secundários permeando-os.

Por incrível que possa parecer, é um livro divertido de se ler, temos momentos engraçados que deixam o coração quentinho. É aquele livro que você quer ler e ler para descobrir tudo sobre o casal.
"- Aja! - Viro-me e quase dou de cara com ele. - Aí está você." "- O que está rolando lá, campeão? - pergunta Connie." "- Eu estava falando com Iggy. - responde ele, sem erguer os olhos." "- A rapper? - pergunta ela, rindo da própria piada." Aja apenas fica olhando para ela."

Ao ler esse livro, é claro que eu não poderia deixar de lembrar de "Tudo e Todas as Coisas" onde a personagem tem uma doença que a impede de sair de casa já que ela é alérgica a tudo. Entretanto, as coisas nesse livro são tão diferentes... começando por personagens adultos, com cada um com uma bagagem emocional forte, porém, o que lembra esse livro do outro é essa exploração de personagens que querem se arriscar e viver um romance.

A escrita da Colleen Oakley é bem envolvente e como eu disse, bem estruturada (desde a história até os personagens que cativam muito).

Entretanto, eu não sei o que sentir sobre o final do livro, talvez fosse algo que eu esperava e até queria, mas outros pontos em questão me fizeram questioná-lo.
Foto: Leitora Cretina // Sem edição
SOBRE A EDIÇÃO:
Parece estar na moda capas com sombras, e essa ficou tão linda e tão de acordo com a história! O título possui um alto relevo. Por dentro, as páginas são amareladas e com uma fonte grande e confortável. 

O livro é dividido em três partes e a cada começo temos uma continuação da matéria da Jubilee falando da doença no New York Times.
Resultado de imagem para perto o bastante para tocar30753714

Gostaram da história?
Beijão!

14 comentários:

  1. Oi, Mônica!
    Realmente ele parece ter algumas semelhanças com "Tudo e todas as coisas". Apesar de já ser algo batido, gosto de livros que abordam doenças. E adoro quando os autores criam algo de um jeito tão detalhado e caprichado que a gente acredita que existem mesmo! Enfim, pela sua resenha acredito que eu curtiria bastante a leitura.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carla!
      Simm, está ficando bem batido mesmo, mas mesmo assim eu corro pra ler, hahaha.
      Fico feliz que tenha se interessado <3

      Beijão

      Excluir
  2. Oi.
    Não tem como não amar essa capa linda, estou apaixonada!
    Eu fico com receio de ler obras com esse tema porque não curto saber que os personagens não podem ter contato físico, acho isso um saco e sofro por eles, mas acho que pela história ser tão encantadora, eu daria uma chance.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mi!
      Simmm, ela é fofa demais. Adoro quando fazem esse jogo de sombras na capa :D
      É uma história muito bacana e diferente, dá uma chancinha, haahah.

      Beijão

      Excluir
  3. Oi Mônixa
    Que tenso não poder ser tocada por ninguém.
    Parecer ser uma leitura muito boa , principalmente por achar um jeito de inserir comedia.
    Ja queria ler antes,agora quero mais ainda

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Babi!
      É uma situação bem triste, né?
      Espero que leia em breve! :D

      Beijão

      Excluir
  4. Respostas
    1. Olá, Ro!
      Fico feliz que tenha se interessado <3

      Beijão

      Excluir
  5. Oi Mô!
    Tenho um eBook dessa autora e as capas dos livros dela né encantam. Lembram muito as de Jojo Moyes. Fiquei encantada com a sinopse dele! Estantismo é tudo de bom, né? Um dia ainda conseguirei assinar uma caixa, hahaha.

    Beijoooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cecy!
      Acredita que eu não conhecia a autora antes? Já ouvi falar do livro Antes de Partir, mas nunca li nada.
      Simmm, também acho, ainda mais com esse jogo de sombras, né?
      Eu amo o Estantismo, sério!! <3

      Beijão

      Excluir
  6. Acabei de ler o livro, e amei, uma história tão envolvente, tão gostosa de se ler, os personagens são tão fofos, mas não sei o q pensar desse final...queria continuação ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!
      É um livro incrível, né? Eu adorei também!!
      Achei que o final final ficou bem corrido, era o que eu esperava, mas queria mais, sabe? Hahah.

      Beijão

      Excluir
  7. Eu amei demais essa leitura, mas queria mais história ;(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ju!
      O finalzinho deu um gostinho de quero mais, né?

      Beijão

      Excluir

Olá! Deixe seu comentário. Eu vou adorar ler e respondê-lo. <3