navegar pelo menu
18.5.19


Olá, leitores! Tudo bem?

"BONDiNG" é original da Netflix, e foi uma série que eu assistia quando queria relaxar, não pensar em nada. Concluí ela numa sexta a noite, depois da minha última prova do bimestre.

Se você também está procurando uma série assim, vem conhecer mais sobre ela.

Tiff é uma estudante de psicologia que trabalha como dominatrix. Em busca de um ajudante, ela contrata seu velho amigo homossexual, Pete, que necessita urgentemente de dinheiro para pagar o aluguel.

Resultado de imagem para bonding netflix scenes

Assisti essa série sem esperar grandes dramas, algo mais leve e divertido. Entretanto, conforme os episódios iam passando, comecei a notar que a série queria ir para um outro caminho diferente daquele apresentado na sinopse, principalmente nos episódios finais. Começam também a apresentar ao telespectador um pouquinho, bem leve, de drama, mas sem perder a característica de leveza e comédia que a série tem

A parte um pouco dramática fica a cargo das vidas pessoas dos dois personagens, em suas buscas para se encontrarem, se apaixonarem, encarar seus maiores medos, etc. Em determinados momentos até podemos tirar alguns lições, já que, de uma forma ou de outra, acaba tratando de temas importantes, tais como, a forma que mulher é vista em relação ao sexo, assédio, etc. Separado a isso, vemos os divertidos momentos de Senhora May e Carter (codinomes de Tiff e Pete), atendendo os desejos de seus clientes.

Resultado de imagem para bonding série

Os episódios são bem curtos, em média 20 minutos, e só temos disponível, por enquanto, a primeira temporada, com sete episódios. 

Como eu disse, é uma série que não tem um grande enredo, nem um grande desenrolar. Também não é algo surpreendente, é constante, divertido, serve muito bem para entreter e fazer o tempo passar.

Também não ache que se trate de uma série como "Cinquenta Tons de Cinza", essa série vai para um outro lado.

Alguém aí já assistiu "BONDiNG"
Beijão!
15.5.19

Foto: Leitora Cretina

Olá, leitores! Tudo bem?

Fazia muito tempo que não aparecia por aqui, né? A minha vida está uma loucura, acaba não me dando tempo para fazer quase nada que eu realmente goste de fazer nos momentos de lazer. Tenho estágio a tarde, faculdade a noite e me sobra o período da manhã para estudar. Nos finais de semana eu estudo ainda mais e fico um tempo com a família e amigos.

Nesses momentos de lazer eu consigo ver alguns filmes, séries e ler alguns poucos livros (vou trazer esses conteúdos para vocês aos pouquinhos).

Ler um livro do Dr. Drauzio Varella nunca passou pela minha cabeça. Claro que sempre admirei o profissional que ele é, mas ler algo dele? Nunca tive o interesse. E calma, se você também nunca teve, espero mudar seu conceito agora.

Foto: Leitora Cretina


image
Resultado de imagem para prisioneiras drauzio varella
Título: Prisioneiras 
Volume: 03 
Autor (a): Drauzio Varella 
Editora: Companhia das Letras
Número de Páginas: 280
Ano: 2017 
Gênero: Literatura Brasileira / Não ficção
Nota    
SINOPSE: O trabalho de Drauzio Varella como médico voluntário em penitenciárias começou em 1989, na extinta Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru. Os anos de clínica e as histórias dos presos, dos funcionários e da própria cadeia seriam retratados nos aclamados livros Estação Carandiru (1999) e Carcereiros (2014). Em 2017, Drauzio encerra sua trilogia literária sobre o sistema carcerário brasileiro com Prisioneiras. Alçando as mulheres encarceradas a protagonistas, o médico rememora os últimos onze anos de atendimento na Penitenciária Feminina da Capital, que abriga mais de duas mil detentas. São histórias de mulheres que não raro entram para o crime por conta de seus parceiros inclusive tentando levar drogas aos companheiros nas penitenciárias masculinas em dias de visita , porém que são esquecidas quando estão atrás das grades. As famílias conseguem tolerar um encarcerado, mas não uma mãe, irmã, filha ou esposa na cadeia. No ambiente carcerário feminino, há elementos comuns às penitenciárias masculinas. Assim como no Carandiru, um código de leis não escrito rege as prisioneiras; o Primeiro Comando da Capital (PCC) está presente e mostra sua força através das mulheres que integram a facção; e a relação entre aquelas que habitam as cadeias não é menos complexa. As casas de detenção femininas, no entanto, guardam suas particularidades diferenças às quais o médico paulistano dedica atenção especial em sua narrativa. Desde a dinâmica dos atendimentos e a escassez de visitas até os relacionamentos entre as presas, fica nítido que a realidade das prisões escapa ao imaginário de quem vive fora delas. Prisioneiras é um relato franco, sem julgamentos morais, que não perde o senso crítico em relação às mazelas da sociedade brasileira. Nesse encerramento de ciclo, Drauzio Varella reafirma seu talento de escritor do cotidiano, retratando sua experiência e a vida dessas mulheres com a mesma disposição, coragem e sensibilidade que empreendeu ao iniciar seu trabalho nas prisões há quase três décadas.
image

ENREDO:

Drauzio Varella é um grande médico que passou parte da sua vida dedicado ao atendimento médico na Penitenciária Feminina da Capital. Nesse terceiro volume de uma trilogia, ele retrata a vida das detentas.

"Aqui ninguém dorme, doutor. Estou pagando caro pelos meus pecados, o inferno não pode ser pior."

MINHA OPINIÃO:

Você não precisa ter lido os outros dois volumes para ler esse, fique tranquilo. Mas eu fiquei tão apaixonada por "Prisioneiras" que já estou lendo "Carcereiros".

Em "Prisioneiras", pela narrativa de Drauzio, ele traz ao leitor a realidade que as mulheres vivem no presídio, e não só pelo lado "médico", ele fala de questões sociais também. O autor traz histórias reais. Em determinados momentos do livro ele abre espaço para contar histórias do começo ao fim de algumas mulheres que ele atendeu, contando como foram suas infâncias, relações familiares, como foram parar no presídio, etc. Na minha opinião, esses momentos de maior profundidade das histórias individuais delas eram as mais interessantes. 

"Tudo que acontece no pavilhão é comigo. Sou eu pra cá, eu pra lá, eu pra acolá o tempo inteiro. Ainda enlouqueço nesse inferno. Cadeia foi feita pra homem, doutor, mulher não tem procedimento. Aqui elas brigam até por um lugar no varal pra pendurar a calcinha."

A cada capítulo o autor nos traz questionamentos muito profundos acerca da influência do meio em que vivemos, como cada episódio em nossas vidas pode ter um reflexo lá na frente. Além do leitor ter a oportunidade de chegar "um pouco mais perto" dos presídios, da situação que essas mulheres vivem, vemos como é forma de sobrevivência, como as mulheres fazem para ganhar a vida ali, como são as relações íntimas entre as detentas, suas formas de organização. Também é possível conhecer um pouco sobre o PCC e qual é a influência da mulher.

Foto: Leitora Cretina


Em alguns momentos, Drauzio faz comparações entre homens e mulheres presas (como é um presídio masculino e um feminino, o que acontece quando um homem e quando uma mulher são presos, etc).

"Enquanto estiver preso, o homem contará com a visita de uma mulher, seja a mãe, esposa, namorada, prima ou a vizinha, esteja ele num presídio de São Paulo ou a centenas de quilômetros. A mulher é esquecida."

Em momento nenhum fiquei entediada lendo esse livro, as histórias sempre me surpreendiam e me deixavam mais e mais curiosa. Também sempre vemos resquícios da opinião do autor. É um livro com uma linguagem franca, compreensível, que para alguns, as histórias podem ser chocantes. A escrita do Drauzio me prendeu do início ao fim.

Adorei conhecer um pouco de como o trabalho do médico pode ser inserido em tal contexto, e quais são suas influências na vida dessas mulheres. É um livro que enriquece um ser humano.

"No universo prisional, (...) podem viver sua sexualidade da forma que lhes aprouver, sem enfrentar repressão social. Paradoxalmente, talvez a cadeia seja o único ambiente em que a mulher conta com essa liberdade."

SOBRE A EDIÇÃO:

Li o livro em e-book, então não posso opinar sobre a diagramação, folhas, etc. Mas a capa é muito bonita, retratando bem a história, chamativa.

Beijão!
4.4.19

Foto: Leitora Cretina

Olá, leitores! Tudo bem?

AVISOS:
Sei que ando sumida daqui do blog (apesar de estar sempre no Instagram @leitoracretina). Preciso compartilhar com vocês que a minha vida está uma loucura. Não apareci antes aqui pois não tinha novidades literárias para compartilhar com vocês, não estava lendo nada, e minha vida é só estudos, por essa razão, eu abri um espaço lá no meu Instagram para poder compartilhar essa parte da faculdade com vocês, já que essa têm sido minha vida no momento.

Recebi o livro "The Chase" há dois dias da editora Companhia das Letras (Editora Paralela) e na hora já comecei a leitura. Fazia muito tempo que não me sentia assim com um livro.

Para quem não conhece, a Elle Kennedy é autora da série Amores Improváveis, que sou apaixonada. Mas, infelizmente, a série chegou ao fim. A autora então decidiu escrever um spin-off, intitulado de Briar U, revivendo aquele cenário de hóquei, faculdade, festas e personagens apaixonantes! "The Chase" é o primeiro volume!

image
Resultado de imagem para the chase elle kennedy
Título: The Chase - A Busca de Summer e Fitz
Título original: The Chase 
Série: Briar U
Volume: 01 
Autor (a): Elle Kennedy 
Editora: Paralela
Número de Páginas: 300
Ano: 2019 
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Romance / Erótico 
Nota:     
SINOPSE: Bem-vinda de volta aos jogos de hóquei e às festas da Universidade Briar! No primeiro spin-off da série Amores Improváveis, conheça a apaixonante e misteriosa Summer, irmã de Dean.
Todo mundo diz que os opostos se atraem. E deve ser verdade, porque não tem nada que explique minha atração por Colin Fitzgerald. Ele não faz meu tipo e, o pior de tudo, me acha superficial. Essa visão distorcida que ele tem de mim é o primeiro ponto contra. Também não ajuda que ele seja amigo do meu irmão. 
E que o cara que mora com ele tenha uma queda por mim. 
E que eu tenha acabado de me mudar para a casa deles. 
Mas isso não importa. Estou ocupada o bastante com uma faculdade nova, um professor que não larga do meu pé e um futuro incerto. Além do mais, Fitzy deixou bem claro que não quer nada comigo, embora tenhamos uma química de dar inveja a qualquer casal. Nunca fui de correr atrás de homem, e não vou começar agora. Então, se o meu roommate gato finalmente acordar e perceber o que está perdendo… 
Ele sabe onde me encontrar. 
CONTEÚDO ADULTO
image

Foto: Leitora Cretina

ENREDO:

Summer Di Laurentis é irmã de Dean (de "O Jogo", em Amores Improváveis) e acaba de ser transferida para o curso de moda em Briar. Sem lugar para morar, seu irmão mexe os pauzinhos e consegue um espaço para ela em sua antiga república. Lá ela terá que viver com Hunter, Hollis e Colin Fitzgerald, este último, por quem ela sempre teve uma quedinha.

Colin Fitzgerald (ou Fitz) é um dos jogadores de hóquei da Briar, apesar de ter outras paixões, como o vídeo-game. Ele tenta fugir de todas as investidas de Summer.

Foto: Leitora Cretina

MINHA OPINIÃO:

Summer é uma personagem que se desenvolve no decorrer da história, aliás, ela se revela. A primeira vista, assim como Fitz, o leitor pode achar que ela é uma garotinha mimada, rica, que adora chamar atenção e fútil, mas ela é muito mais que isso. Isso é tão bem trabalhado no livro que eu fiquei muito surpresa. Elle Kennedy sempre teve a habilidade de criar personagens diferentes, com trajetórias de vida intrigantes, e com a Summer não foi diferente. Ela também é uma protagonista com TDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade), e por meio de suas narrações vemos como ela se sente em relação a tudo isso.

"Mas ter um carrão não faz de mim uma pessoa superficial. Gostar de moda e ser de uma fraternidade não fazem de mim uma pessoa superficial."

Já Fitz é um cara muito sossegado, não gosta de chamar atenção, sempre na dele, principalmente por conta do seu passado. O seu grande amor, além do hóquei são os jogos de vídeo-game, que ele mesmo produz. O cara é apaixonante. É o tipo de personagem que você lê e já quer saber onde pode encontrar pessoas reais com aquele perfil. Ele é gentil, sempre pensa no próximo, mas, tudo o que ele quer, é se afastar de Summer porque, além dela ser irmã de um de seus amigos, ela tem esse jeito que é tudo o que ele não quer em sua vida

Foto: Leitora Cretina

A história é toda bem organizada. Como todos os livros da autora, ele tem um clima leve que permeia o livro todo, é impossível não se sentir atraído por suas histórias. Apesar dessa característica, o livro também trata de temas muito importantes como o TDAH, preconceito, assédio, etc.

A escrita de Elle Kennedy é sem igual! Muito fluida, e por meio de narrações que são feitas pelos dois protagonistas, o leitor se envolve com eles, se identifica de alguma forma. Fico encantada sempre que leio algo dela.

"Com a expressão fechada, a barba crescendo e o mau humor diante do espelho, fico com a cara de bad boy".

Temos também algumas aparições dos personagens de Amores Improváveis, para matarmos a saudade.

Não é um livro com muita profundidade, com reviravoltas e tudo mais. É um livro calmo, divertido, que vai te fazer rir e esquecer dos problemas, mas que não deixa de ser sensacional. Simplesmente não conseguia parar de lê-lo.


"Percepção e realidade são coisas muito diferentes. A verdade em geral está em algum lugar entre as duas."

Foto: Leitora Cretina

SOBRE A EDIÇÃO:

A capa é linda! Achei ela muito mais bonita que a versão americana. Por dentro, as folhas são amareladas, com uma fonte confortável e bem aconchegante.
Resultado de imagem para the chase elle kennedyResultado de imagem para the chase elle kennedy

O que acharam? Ficaram com vontade de ler?

Para quem não conhece a série principal Amores Improváveis, mas ficou com muita vontade de ler "The Chase": bom, eu recomendaria que você começasse por Amores Improváveis, pois as histórias são igualmente ótimas, divertidas e cheia de personagens encantadores; entretanto, você também pode começar por "The Chase", porém, levará muitos spoilers da série principal. Quer conhecer Amores Improváveis? Clique aqui.

Beijão!
26.3.19

Foto: Leitora Cretina


Olá, leitores! Tudo bem?

Inspirada no vídeo da Beatriz Paludetto, resolvi fazer um post para vocês, contando quais livros brasileiros já li. Confesso que não foram muitos, gostaria de ter lido bem mais, mas quem sabe consigo mudar isso esse ano.

Preconceito linguísticoA Estreia de FaniFani Na Terra Da RainhaDespedida de Solteira: AmandeO Safado do 105Só VocêA Era de Ouro do PornôEle é lindo, mas é Meu IrmãoGostaria de Tê-la em Minha Cama NovamenteLaços de FamíliaA Morte e a Morte de Quincas Berro DáguaHelenaO Amor Não Tem LeisMemórias de um Sargento de MilíciasTriste fim de Policarpo QuaresmaObrigada pelo chocolate8 SegundosRedenção de Um CafajesteSuper desapegadaLetra e MelodiaSenhoraS. BernardoDois irmãosMemórias Póstumas de Brás CubasHorror na Colina de DarringtonToda PoesiaMania de VocêSimplesmente ImperfeitosNão Pare!A Melodia do CoraçãoA Jogada PerfeitaA Jogada IncertaAnitaOs Fantasmas do EspelhoDalmarcoRoleta Russa - Volume 1 - 1ª parteO ProfessorOur FallA Segunda Chance de ZoeRafaniFeminismo em ComumAdorável CretinoO Pior dos CrimesLady LaurenSob os pés, meu corpo inteiro

  1. - PRECONCEITO LINGUÍSTICO, Marcos Bagno | skoob
  2. - FAZENDO MEU FILME: A ESTREIA DE FANI, Paula Pimenta | skoob
  3. - FAZENDO MEU FILME: FANI NA TERRA DA RAINHA, Paula Pimenta | skoob
  4. - DESPEDIDA DE SOLTEIRA: AMANDE, Mila Wander | skoob
  5. - O SAFADO DO 105, Mila Wander | skoob
  6. - SÓ VOCÊ, Manu Rolim | skoob
  7. - A ERA DE OURO DO PORNÔ, Zeka Sixx | skoob
  8. - ELE É LINDO, MAS É MEU IRMÃO, N. A | skoob
  9. - GOSTARIA DE TÊ-LA EM MINHA CAMA NOVAMENTE, N. A | skoob
  10. - LAÇOS DE FAMÍLIA, Clarice Lispector | skoob
  11. - A MORTE E A MORTE DE QUINCAS BERRO D'ÁGUA, Jorge Amado | skoob
  12. - HELENA, Machado de Assis | skoob
  13. - O AMOR NÃO TEM LEIS, Camila Moreira | skoob
  14. - MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS, Manuel Antônio de Almeida | skoob
  15. - TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA, Lima Barreto | skoob
  16. - OBRIGADA PELO CHOCOLATE, Laís Brancalhão | skoob
  17. - 8 SEGUNDOS, Camila Moreira | skoob
  18. - REDENÇÃO DE UM CAFAJESTE, Nana Pauvolih | skoob
  19. - SUPER DESAPEGADA, Jaqueline de Marco | skoob
  20. - LETRA & MELODIA, Michelle Mariani | skoob
  21. - SENHORA, José de Alencar | skoob
  22. - SÃO BERNARDO, Graciliano Ramos | skoob
  23. - DOIS IRMÃOS, Milton Hatoum | skoob
  24. - MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, Machado de Assis | skoob
  25. - HORROR NA COLINA DE DARRINGTON, M. V. Barcelos | skoob
  26. - TODA POESIA, Paulo Leminski | skoob
  27. - MANIA DE VOCÊ, Mônica Meirelles | skoob
  28. - SIMPLESMENTE IMPERFEITOS, Evilane Oliveira | skoob
  29. - NÃO PARE!, FML Pepper | skoob
  30. - A MELODIA DO CORAÇÃO, Michelle Mariani | skoob
  31. - A JOGADA PERFEITA, Evilane Oliveira | skoob
  32. - A JOGADA INCERTA, Evilane Oliveira | skoob
  33. - ANITA, Thales Guaracy | skoob
  34. - OS FANTASMAS DO ESPELHO, Paulo Mateus | skoob
  35. - DALMARCO, Michelle Mariani | skoob
  36. - ROLETA RUSSA, Gisele Souza | skoob
  37. - O PROFESSOR: ELE VAI ENSINAR, ELA VAI APRENDER, Tatiana Amaral | skoob
  38. - OUR FALL, Amanda Maia | skoob
  39. - A SEGUNDA CHANCE DE ZOE, Layla Casanova | skoob
  40. - RAFANI, Sinéia Rangel | skoob
  41. - FEMINISMO EM COMUM, Marcia Tiburi | skoob
  42. - ADORÁVEL CRETINO, Camila Ferreira | skoob
  43. - O PIOR DOS CRIMES, Rogério Pagnan | skoob
  44. - LADY LAUREN, A. J. Ventura | skoob
  45. - SOB OS PÉS, MEU CORPO INTEIRO, Marcia Tiburi | skoob

Se você gosta de livros nacionais, de ler resenhas, confira o blog da Lídia, o Cantinho da Escrita, tem vários clássicos, inclusive.

Beijão!